Sexualidade masculina, ejaculação e orgasmo

Post convidado do amigo Renan Carvalho. Como entende do assunto e faz disso sua profissão, ele explicará para gente mais sobre a sexualidade masculina e como funciona tudo que a envolve. Espero que gostem, meninas!

Por que é que os homens ainda que estejam numa relação feliz olham as mulheres ao seu redor desse modo tão particularmente masculino? Você sabe, a maneira que pode não ser desnudar mentalmente por completo a mulher considerada, porém de um modo impassional tem certamente um sentimento sexual. (E, segundo minha maneira de pensar, vejo a mulher como um contato sexual potencial que como individuo.)

É algo relacionado com o caráter varonil que está reconhecido implicitamente em assumir que os homens são mais inclinados que as mulheres a enganar suas parceiras? Que os homens são os que querem a excitação sexual, enquanto que as mulheres estão atrás do apoio emocional?

Que as mulheres possam consentir com o sexo simplesmente para se ver cercada emocionalmente? Ou estes são meramente estereótipos sexuais passados de moda que requerem ser re-examinados e abordados, reconhecendo que somos mais parecidos que diferentes?

Estas são perguntas difíceis, e qualquer resposta está ligada com a provocação. O conceito de que os homens se movem mais sexualmente que as mulheres foi estabelecido como uma questão científica pelos sociobiólogos, que se esforçaram em explicar o comportamento em geral, e o comportamento humano nisto, sobre a base de influências genéticas que se encontravam muito lentos na arvore evolutiva humana. Assim, como em geral, os machos “dominantes” em uma sociedade tentaram ganhar o direito de fecundar a tantas mulheres quanto forem possíveis – e o fazem pelejando, competindo, cortejando as mulheres com amostras de sua força e tamanho.

Seguramente, muito deste comportamento existe no reino animal, embora certamente não é um padrão exclusivo do comportamento dos machos – muitas espécies de animais se unem a sua parceira para toda a vida, e muitas que não o fazem formam parceiras exclusivas para a época de cria. Ainda alguns dos notórios primatas sexuados formam parceiras de longa duração – o gibão, creio que é assim, por exemplo, é fiel por toda a vida.

Mas, apesar das exceções, é um fato que muitas espécies se comportam assim, e em muitos casos as mulheres buscam ativamente o macho dominante ou a evidência da habilidade do macho em ser um bom provedor. Tem sentido evolutivamente, porque um macho pode acumular muitas fêmeas e protegê-las de outros machos as cercando. Assim, uma fêmea buscaria estas características para assegurar que a chance de sua descendência para sobreviver seja a máxima possível. Mas sentimos, suspeito, que é quase um insulto a nossa condição humana, sermos seduzidos pelo argumento que o comportamento sexual está governado por nossos pênis.

Depois de tudo, somos supostamente a espécie mais evoluída sobre o nosso planeta. Que desagradável então que nossos genes sejam responsáveis por nosso comportamento. Não temos a habilidade de superar nossa herança genética e comportarmos de uma maneira humana?

Bem, a resposta é que provavelmente tenhamos a vontade de fazê-lo assim, mas que as vezes podemos ser conduzidos de um modo que vem do profundo de nosso programa genético que não podemos ver completamente. Muitas vezes tenho ouvido um argumento gay/heterossexual que prova supostamente que os homens são inerentemente sexuais e que tomarão qualquer oportunidade que pensem que podem obter para ter relações sexuais, ainda a risco de perder tudo em sua família pelo que tem trabalhado, sobre a possibilidade remota geneticamente determinada e sub-consciente de disseminar seus genes um pouco mais além (enquanto disfarçam isto usam a expressão “minha mulher não me compreende” ou um milhão de outras.)

O argumento gay/heterossexual é este: os homens gay exibiam níveis sem precedentes de promiscuidade sexual nos anos setenta, e enquanto as coisas agora são mais cuidadosas e restringidas, os homens gay tem muito mais parceiros que os heterossexuais. Isto, então, demonstra que os homens, liberados das restrições sociais ou emocionais da sociedade ou de suas parceiras femininas, buscam sexo, o disfrutam, e basicamente tem tanto dele como possam, mas quando o gosto seja emocional – vazio, culpa, querer, falta de intimidade, e assim sucessivamente.

Apresentando com se fora uma evidência mais da sexualidade do varão está o fato de que as relações entre lésbicas a princípio tem como finalidade principal as emoções e a viver juntas, no sexo o qual de fato, “prova” que as mulheres são menos sexuais que os homens… porém… o que estamos dizendo aqui? Estamos olhando a causa e o efeito? Poderia ser tão provável que os homens tenham aprendido a expressar-se através da atividade sexual? Que os homens fossem tão emocionais como as mulheres se lhe desse a oportunidade ou o conhecimento de como ser assim? Que, em outras palavras, somente estamos manifestando algum condicionamento social em nosso comportamento sexual?

E se é uma condição da sociedade, como explicamos o fato de que alguns aspectos do comportamento do varão ocorrem tão precipitadamente? Porque, por exemplo, os homens tem sexo com qualquer uma quando estão bêbados?

Ou, como as mulheres poderiam saber, que os homens não são confiáveis? Porque se fixam mais na beleza que no cérebro. Que abandonam suas esposas de quase 20 anos quando obtém êxito na metade da vida e se juntam com uma jovenzinha de pouco cérebro (políticos, tomem nota!)

Significa que as mulheres os atrai ao poder e ao êxito – evidência de domínio, quizá, em nossa sociedade materialista? Significa que as mulheres mais atraentes tem uma vantagem sexual porque atraem os machos mais fortes, mais ricos, mais poderosos – quer seguramente podem prover para comprar sua companhia? A resposta, de acordo com os sociólogos, reside no fato  de que os homens podem ter muito mais descendência que as mulheres – podem arar o sulco e espalhar a semente, sem preocupar-se demasiadamente no que acontecerá depois.

Assim, os homens que foram sexualmente promíscuos atrás em nossa história evolutiva seriam os saídos evolutivamente – em outras palavras, tiveram mais filhos e seu comportamento se estendeu. Mas seguramente que as mulheres desejariam o oposto – fidelidade, e a evidência de compromisso para educar os meninos: assim teriam a inclinação a provar a paciência dos machos que ofereceriam a sei mesmos como parceiros potenciais, para ver quão preparados estão: quanto mais esperam (deixando passar então as oportunidades de unir-se a outras fêmeas) mais provavelmente seriam pais e companheiros fiéis – sua inversão ma seguinte geração não poderia assegurar-se simplesmente tendo muito sexo – em curso, cuidar de poucas crianças e assegurar a sobrevivência até adulto.

E na realidade há alguma evidência para apoiar algumas destas idéias. Por exemplo, tem agora, e sempre tem havido, muitas sociedades humanas polígamas – aquelas onde especialmente se é permitido aos machos dominantes ter várias esposas. Isto satisfaz exatamente alguns padrões biológicos presumidos, porém o macho dominante deve ser capaz de manter seu poder e alimentar as crias.

Analogamente, os psicólogos informam que os homens se inquietam por suas esposas terem sexo com outros homens (você sabe, a cena onde acaba cuidado de algum garoto de outro homem – um filho de sexo furtivo para usar um termo gráfico do campo da sociologia – mantendo seu apoio a sua esposa crente que é seu filho; grande desde o ponto de vista humano, mas muito, muito ruim do ponto de vista da inversão genética do homem na seguinte geração), veja que as mulheres, assim nos foi dito, se inquietam pensando que seus homens estejam sentimentalmente ligados a alguém mais.

Mais raramente, tem sido proposto que o clássico dublê standard masculino – vai para a cama com uma puta e casa-se com uma virgem – está amparado por este desejo biológico para assegurar que como homem um assegura a própria descendência genética enquanto que compartilha sua cama com uma mulher sensual é uma maneira de disseminar a semente que não resulta em compromissos a longo prazo. (Desde já com contracepção isto tampouco resultará em descendência, porém este não é o ponto: se a necessidade por trás do comportamento que está geneticamente determinado ou não).

Existem estudos científicos que confirmam isto: David Buss, psicólogo e autor de Evolução do Desejo tem estudado muita gente em mais de 30 países: concluiu que os homens queriam sexo e as mulheres queriam êxito. Porém! É muito óbvio que isto não pode ser o determinante final do comportamento humano – temos pressões emocionais e sociais que simplesmente impedem que se passe desta maneira. E indo mais ao ponto, as teorias puramente genéticas e sociobiológicas negam ao homem o elemento da livre escolha em seu comportamento – o que, depois de tudo, é um dos mais altos aspectos da condição humana: a capacidade de efetuar eleições morais que poderão ser classificadas como sacrificantes.

Neste contexto especulativo sobre a adoção: o desejo insatisfeito de ter um filho pode ser doloroso, e sucede que desde um ponto de vista da sociedade adotar é certamente algo útil para parceiros inférteis. pode ser que o impulso genético do pai adotivo de perpetuar-se sobre sua descendência genética seja sublimado por sua real capacidade de passar sua história cultural ao filho adotado. Em qualquer caso, o impulso fundamental de passar algo a geração seguinte se satisfaz.

Mas uma coisa certa é que, como em geral, o impulso sexual do homem parece ser mais poderoso e durar mais tempo que o da mulher, especialmente em matrimônios a longo prazo. Temos sido levados a uma nova visão das mulheres como seres sexuais recentemente. com mais sexualidade que haviamos dado crédito: e é certo que, liberadas do trabalho com a criação dos filhos, com uma sensação de poder e independência, as mulheres desfrutam do sexo tanto quanto os homens. Mas as mulheres desfrutam do sexo casual tanto quanto os homens?

Buscam a evidência do compromisso, ou fazem sexo em sua primeira menção (digamos)? Penso que é aqui onde nos dividimos em áreas do comportamento humano que são mais socialmente condicionadas – se uma mulher gosta de um homem, faz algum juízo sobre se pode confiar nele, se lhe imagina por qualquer razão que goste, então ela pode com contracepção disponível livremente, desfrutar do sexo sem a culpa e vergonha de que a sociedade culpe ela. E hurra por isso!

Impulso sexual

Nós homens nos temos tornado muito quentes nos anos recentes por nossas atitudes sobre o sexo. Tem-se dito que estamos obcecados pelo sexo, em especial o sexo sem amor nem compromisso… mas penso que as mesmas críticas são mal intencionadas e destrutivas. Os varões não ajudam com suas atitudes, que provavelmente se devem tanto a psicologia com ao aprendizado. O sexo é, depois de tudo, afirmação da vida, e não há por que sentir-se mal por isso… Penso que há muito que admirar na atitude até o sexo dos homens, em especial dos garotos jovens. São maravilhosamente curiosos, entusiastas, e exuberantes em relação a ela, e querem pagar caro para ir atrás do tema.

Se me perguntar sobre minha opinião sobre estas questões, penso que existem diferenças muito claras entre os homens e as mulheres em todas as esferas do comportamento, incluindo o sexo. Se bem que muitas feministas diriam que todos os comportamentos negativos do varão poderiam ser alterados ou modificados se as mulheres forem tratadas igualmente pela sociedade, e como ocorre, penso que há muita verdade na opinião que os homens são ensinados para ver as mulheres de determinada maneira.

Os homens tem, depois de tudo, o domínio em nossa sociedade. Isto pode ser porque os homens são naturalmente mais competitivos ou porque as mulheres estão mais interessadas na conexão emocional que na competência (uma sugestão ligeiramente incerta, levando em conta a maneira maliciosa em que as mulheres podem comportar-se entre si).

Porém considere os melhores esforços dos pais iluminados por tratar de maneira diferente os meninos e as meninas. Tenho escutado, uma e outra vez, de meus amigos que são pais, que os garotos são diferentes das garotas. Não é porque são tratados distintamente, embora muito estudiosos tem mostrado que o são desde mesmo momento do nascimento – por exemplo os bebês varões são menos elevados, mimados e acariciados que as garotas – então SÃO diferentes.

Parece lógico que isto deve ser assim – evoluímos de uma maneira que sugere que as demandas dos sexos poderiam ser diferentes: as mulheres podem tem mais êxito em cuidar de filhos tendo uma disposição genética para nutrir e cuidar, enquanto que os homens podem ter evoluído para sair e cooperar na casa (sendo sua legendária competitividade o imperativo que estabelece a cadeia de controles, que é a estrutura dentro da qual os homens caçam juntos atualmente, seja uma caça por comida ou uma caça simbólica para beneficiar-se nas atividades da companhia).

E assim, se um aceita que os homens e mulheres podem ser diferentes em sua constituição genética, então parece inconcebível que não sejam diferentes em sua constituição sexual e em suas expectativas pelo sexo. E assim, seguramente, em sua sexualidade, em seu apetite sexual. No estudo Saúde Masculina, conduzido por Rodale Press, uma queixa constante foi que as mulheres não compreendiam o quanto os homens queriam o sexo.

Duas vezes tantos homens como mulheres se masturbam e nós nos masturbamos mais frequentemente. Quando se perguntou sobre a frequência dos pensamentos sexuais, desde já, as diferenças que emergiram entre os sexos se mostrou legendária: os homens pensam nele várias vezes ao dia (realmente? um minuto? correto?) enquanto que as mulheres  pensam nele, assim dizem, umas poucas vezes durante a semana. E parece que este desequilíbrio é um problema comum nos relacionamentos. Os homens não precisam de estimulante sexual masculino para se sentirem cheios de desejo, todos os dias. Para nós, tudo é natural.

Existe uma razão? Parece ser nossa velha amiga testosterona. Embora seja um hormônio masculino, a testosterona também se produz no corpo da mulher em pequenas quantidades, e tem um papel essencial em regular seu apetite sexual. Bastante estranhamente, ambos corpos masculinos e femininos estão cheios de receptores de testosterona, especialmente o cérebro. O papel da testosterona se explora mais detalhadamente no capítulo sobre a menopausa masculina, e se deseja saber como influi na sexualidade masculina, vale a pena dar uma olhada rápida.

As mulheres em que administram suplementos de testosterona desenvolvem um alto nível de impeto sexual – literalmente veem as coisas desde a outra cara da moeda, e sua visão parece ser usualmente uma revelação para elas. Germaine Greer informa como, devido a algumas circunstâncias desafortunadas, lhe foram dados demasiados altos níveis de suplementos de testosterona – e odiou a experiência, fazendo a observação que sentia que sabia o quanto deve ser violador, no contexto, eu assumo, que alguém com uma gana sexual incontrolável cujo auto controle era superado pelo desejo sexual.

(A tendência dos homens é ser assim – impulsionados sexualmente e querendo gratificação imediata – é a base da explosão mundial da pornografia, uma indústria que na minha opinião, também tem muito a ver com o estabelecimento do domínio e poder do varão sobre a mulher). E todos sabemos, suspeito, que enquanto que as mulheres tem momentos de urgência sexual, é usualmente o homem quem se excita quando sua parceira se inclina para ligar a máquina de lavar, e então a arrasta para o quarto (“Vem AGORA!”), não de outra forma.

Excitação e desejo

O processo de desejo “normal” consiste que o homem seja estimulado espontaneamente, ou inconscientemente – ou deliberadamente, por exemplo, usando pornografia – por algo que faz que seu desejo se fixe em algum objeto ou pessoa: a visão de uma garota na praia de biquíni, a emoção de uma perna bem torneada, a visão de um traseiro suavemente redondo em uma calça jeans apertada, a tentadora abertura desaparecendo na abertura da blusa… Oh, perdão? onde estava? Ah, sim, excitação.

Não penso que seja um processo diferente para homens gay, embora obviamente os estímulos sejam diferentes. Neste ponto necessariamente não existe uma ereção, um ponto que enfatiza pelo fato de que os homens impotentes ainda experimentam o aspecto emocional ou mental de ser um homem – estas olhadas furtivas, essa rápida avaliação de como poderia ser (a nudez, o sexo, a personalidade, o que seja) – mas se um homem sente desejo ou está sexualmente receptivo, prontamente começará a excitar-se fisicamente. O mecanismo de ereção e ejaculação se descreve abaixo.

Você pode estar dizendo – o que é que não excita os homens? E teria razão – em alguma parte, alguém está excitando-se agora mesmo por coisas que jamais havia pensado. É a peculiaridade do ser sexual varão que tantas coisas, tão pouco compreendidas, podem ser estímulo sexual. Minha primeira noiva, tinha largas fechaduras e para mim, o cabelo comprido é um estímulo realmente eficaz.

Outros homens informam efeitos similares de sua primeira experiência sexual – como se, de alguma maneira, as visões e sons presentes neste crucial primeiro momento se tornaram uma base para posteriores excitações. (Melhor dizer ao seu filho para ter cuidado ao fazer pela primeira vez – melhor se o faz em casa em um meio ambiente seguro, afetuoso, com contracepção a mão, meu ponto de vista). Então está o esímulo numa simples palavra picante. – uma reação, de garoto dentro de nós de ser prolixo e correto, de modo que simplesmente usar palavras picantes seja excitante e estimulante: a mesma lógica pode aplicar-se ao se fazer amor em um logar ou situação proibidos onde estará em risco de ser descoberto – a adrenalina adicional simplesmente pode aumentar a excitação e fazer a todos os estímulos mais intensos. Isto não é realmente alta ciência, embora é mais bom sentido comum.

O que é mais difícil de explicar são as parafilias – estímulos sexuais raros ou estranhos, que necessitam alguns homens para chegar ao orgasmo: tirar a roupa, exibicionismo, voyeurismo, e assim sucessivamente. Ou incluindo fetiches sexuais estranhos: saltos altos, chicote, uma dominadora humilhando um homem, etc.

Tem se sugerido várias idéias para explicar tudo isto: por exemplo, que os homens sentem culpa pelo sexo, e buscam transferir de alguma maneira seus sentimentos sexuais para objetos como roupa íntima, ou saltos altos, que possam ou não ter uma conotação sexual óbvia.

Parece que nas formas mais externas, as parafilias podem produzir um nível de orgasmo que é maior que no sexo normal na pessoa considerada, embora você poderia esperar que este é o caminho normal associado com a culpa e a vergonha. A clara implicação aqui é que a experiência infantil de um homem poderia ter um efeito poderoso em determinar seus meios de expressões sexuais como adulto.

Posto sensivelmente, eu suponho que o impulso sexual de um homem é demasiado poderoso para suprimir-se. Embora eu lute pode encontrar alguma explicação de por que coisas como suspensórios, prendas de lycra e roupa interior sexy tem uma conotação sexual Indicam o mistério por trás do corpo, ou servem como estímulo sexual porque enfatizam a parte do corpo explicitamente sexual.

Desde já, é maravilhoso sentir a maré crescente da excitação sexual que resulta em estar perto do ser amado, ou uma parceira sexual, ou então uma amiga com quem existe uma cômoda relação sexual porém pouco compromisso emocional, eu penso: uma relação baseada somente no prazer sexual – uma relação que muitos heterossexuais aceitariam instantaneamente se lhes fosse oferecida: Pense em sexo sem compromisso: Uau! Agora – É esse um pensamento varonil estereotipado e se o é, provém de nossa estrutura genética ou de nossas experiências e atitudes aprendidas?)

A sutileza da excitação masculina é tal que ainda uma olhada, um toque da mão da pessoa amada, o aroma do cabelo do ser amado, a visão, o perfume de suas roupas (especialmente fresca em cima de seu corpo), pode despertar o interesse sexual de um homem – esta excitação sexual repentina, a ereção espontânea (bom. isso é mais que uma coisa de adolescentes, não é?) o surgimento do desejo que o toma de surpresa, o puro apreço, o atrativo sexual de tudo isso… não me interprete mal, penso que o fim da conexão emocional é mais satisfatória, e, com a parceira correta, pode concretizar a sensação do próprio eu e o próprio sentido da masculinidade.

Ereção, orgasmo e ejaculação

Isto não é sobre posições ou técnicas sexuais, sendo mais sobre o que se passa no corpo do homem durante a excitação e o despertar sexual. Isto é mais sobre os eventos fisiológicos reais no corpo do varão que conduzem a essas fantásticas sensações de orgasmo e ejaculação. Imagine que você está com sua parceira, ereto e excitado, sentindo essa sensação de urgência de liberar-se de incrível tensão contida que você sente. Nessa fração de segundo de tempo entre o momento em que você sabe que vai terminar e o momento que ocorre, você permanece suspenso no espaço por um instante indefinível, esperando o momento do orgasmo que desafia a todos os outros prazeres.

A propósito, penso que uma das grandes coisas da sexualidade do varão é que um prazer similar possa ser obtido ainda sem estar com uma parceira. A masturbação cuidadosamente prolongada, mais que uma rápida masturbação liberadora de tensões (se bem que é encantadora!), pode produzir orgasmos tão intensos, se não mais, que aqueles tendo sexo com parceira.

Então, o que chega primeiro? O orgasmo ou a ejaculação? São a mesma coisa? Para compreender isto necessitamos observar o ciclo da resposta sexual. Como ocorre, este é somente um nome para as fases da excitação pelo qual passamos no caminho até o orgasmo. Como se define classicamente, existem quatro fases no despertar sexual: excitação, planalto, orgasmo e resolução.

Excitação

Esta pode durar horas ou somente alguns minutos. Muitos quando adolescentes se ocupam em persuadir a sua garota que estando excitados ficava com as “bolas azuis”. e precisavam ter um orgasmo para liberar a pressão. Não creio que haja perigo em uma faze de excitação prolongada, exceto que é um pouco incômodo. Nos homens, pode haver um aumento na tensão muscular, rubror da pele e ereção do pênis.

Embora você possa não notar, seus testículos se incham, seu escroto se tensiona, e por seu pênis começa a fluir um líquido lubrificante que tem a finalidade de lubrificar o movimento do prepúcio sobre a glande: este é o líquido conhecido como “pré-ejaculação”, e pode ser um excitante estimulante sexual por direito próprio – certamente tão excitante como a lubrificação que produz a mulher de sua vagina quando entra na fase de excitação sexual.

A ereção se produz quando o cérebro envia uma mensagem até as células nervosas do pênis e estimula a liberação de óxido nítrico, uma substância química que dilata os vasos que conduzem o sangue ao pênis. Como resultado as câmaras centrais do tecido esponjoso no pênis (os corpos cavernosos) se enchem com sangue, o que por sua vez comprime as veias que permitem ao sangue abandonar o pênis.

O fluxo aumentado de sangue nas câmaras do pênis não podem escapar, o que causa que o tecido esponjoso no meio do pênis se inche ainda mais e faz com que o pênis se torne um pau rígido. Há certas coisas que podem sair mal neste processo, algumas das quais se descrevem na página Andropausa. Porém, estaria equivocado em pressupor que as dificuldades eréteis estão somente reservadas a homens maiores que, digamos, quarenta, porque podem afetar a homens de qualquer idade.

De fato o stress, a ansiedade – especialmente a ansiedade por rendimento em situações sexuais – uma doença, etc. pode reduzir a capacidade do homem de chegar a uma ereção.

Mas retornemos a história. Assumindo que seu pênis se incha com sangue, e que sua ereção é dura e firme, ou, se você está na media de idade ou maior, ligeiramente menos firme que outra vez, está bem na fase de excitação. Esta pode durar muito tempo, embora é provável que um homem excitado mas que não chega ao clímax perde sua ereção depois de algum tempo. Na literatura a esta fase se conhece como planalto e se considera que dura tanto como continue a excitação sexual e não ocorra o orgasmo.

Em alguns homens, particularmente os jovens, é possível que a excitação se torne tão intensa que uma ejaculação espontânea toma lugar, na qual o corpo, mais inconvenientemente e embaraçosamente, causa espontânea a conclusão do processo de excitação, sem mencionar uma carga extra de sabão ou limpeza a seco.

A fase da excitação pode ser uma experiência gratificante por direito próprio, porque durante esta fase seu cérebro produz endorfinas naturais que são componentes do próprio corpo parecidos com a morfina. Adicionalmente a sensação de uma ereção pode ser prazerosa, ao pressionar sobre as partes sensíveis da cabeça do pênis. Quanto mais se prolonga a fase de excitação, mais intenso será o orgasmo ao acabar finalmente.

Na realidade vale a pena sacrificar o prazer rápido (embora intenso) de um rápido orgasmo pelo maior prazer de um orgasmo após uma ou duas horas de carícias. A razão para isto é que quanto mais prolongada seja a fase de excitação maior é o volume de líquido seminal que será ejaculado depois, porque a próstata e outras glândulas do sistema reprodutivo do varão tem mais tempo para produzir seus fluídos. Então, quando toma lugar a ejaculação, o maior volume de fluído produzirá contrações mais prazerosas – assim como uma impressionante chuva de ejaculação.

Minha experiência é que não importa quão satisfatório possa ser um orgasmo obtido rápidamente, uma ou duas horas consumidas acariciando-se e beijando-se no sofá melhora realmente as coisas tanto para o homem quanto para a mulher (quem, como todos sabemos, necessita geralmente muito mais de jogo romântico prévio para obter o mesmo nível de excitação que seu homem, de todos os modos) para que o volume do líquido ejaculado seja muito maior e, como sugestão acima, para produzir também um orgasmo mais intenso.

Orgasmo

A fase seguinte a excitação sexual é o orgasmo, que normalmente vem acompanhado da ejaculação no homem. Há alguma diferença entre o orgasmo e a ejaculação? É uma questão interessante. Estamos tão acostumados em assumir que vem juntos  – e a estar satisfeitos com esta situação – que a maioria dos homens jamais tentam explorar a possibilidade que eles possam não estar tão unidos como geralmente se supõe. Como veremos, pode haver realmente algum fundamento na ideia que um homem pode experimentar orgasmos múltiplos.

Um orgasmo não pode ser detido, uma vez que tenha começado, porque é um processo involuntário de contração muscular e liberação de tensão. Mas um homem pode controlar quão rapidamente alcança o orgasmo de várias maneiras. A mais óbvia, é que ele pode incrementar a pressão sobre seu pênis fazendo os empurrões mais profundos ou fortes durante o coito, ou por mão mais vigorosa durante a masturbação, ou tendo uma massagem de próstata de sua parceira através do períneo ou através da parede interna do reto inserindo um dedo através do ânus.

Outra maneira é contrair os músculos internos que vão desde o osso pélvico até o pênis, um movimento que tanto aumenta a velocidade do orgasmo como o torna mais intenso. Esta é a base dos assim chamados exercícios de Kegel, que se usam quando as mulheres tem debilidade no controle da bexiga. Nos homens, aprender a contrair e fortalecer estes mesmos músculos resulta em orgasmos muito mais intensos e uma ejaculação muito mais potente.

Uma vez que o nível de estimulação tenha alcançado um ponto que se inicia a fase final da excitação sexual, seu corpo se prepara para o grande clímax de muitas maneiras. Aumentam a pressão sanguíne e o ritmo cardíaco, a respiração se faz mais profunda e forte, e podem ocorrer contrações involuntárias de músculos através de todo o corpo de sua parceira, incrementando assim a probabilidade de que seu sêmen seja depositado excitantemente dentro dela.

O homem pode abraçar seus braços involuntariamente ao redor de sua parceira e sustentá-la firmemente, outro reflexo que penso que deriva de nossos ancestrais animais – a última coisa que você vai querer é que sua parceira escape do coito durante a ejaculação, depois de todo o esforço feito em levar seu sêmen dentro dela. Sei que isto não soa muito romântico, mas não podemos desviar ao fato de que o sexo evoluiu para a reprodução, e muita de sua herança histórica ainda determina como o fazemos, ainda quando o fazemos por prazer.

Imediatamente antes do orgasmo propriamente, o fluído seminal se acumula no bolbo da glândula próstata. Isto produz esta sensação familiar de ejaculação iminente – um dos momentos mais bonitos de ser um homem. Então, no momento do orgasmo, os testículos se aproximam do corpo, o retrator urinário que conduz à bexiga, se fecha de maneira que o sêmen tem que sair do corpo através do pênis, mais que passar diretamente pela bexiga, e toma lugar uma série de contrações musculares que constituem realmente o orgasmo.

Estas contrações ocorrem nos músculos da base do pênis, os músculos do tronco do pênis, ao redor do esfíncter anal, o músculo pubococígeo, e os músculos do reto – se contraem por volta de oito vezes, ligeiramente mais ou menos, a intervalos de oito décimos de segundo, e ao fazê-lo se expele o fluído seminal que contém esperma. Estas contrações podem levar a que o esperma se dispare ou simplesmente goteje, dependendo da condição dos músculos, do tempo da última ejaculação, e do volume de fluído que se acumula durante as fases prévias de excitação sexual.

Os orgasmos com certeza variam. Não são todos uma bomba que destrói a terra! Há muitas razões porque uns não são tão bons quanto outros, seguramente. Uma das razões principais é que envolve todo o corpo, e então coisas simples como níveis de cansaço, fadiga, relaxamento e stress tenham todos impacto na intensidade da experiência. Obviamente, também influirá no seu nível de exitação e, na intensidade das sensações durante o sexo, quão excitado ou quente se sinta você. Um indicador da intensidade do orgasmo de uma pessoa é o grau em que os músculos faciais experimentam contorsões ou a sonoridade de seus gemidos involuntários no momento em que chegam.

O que é o sêmen?Alguns pucos dados sobre a ejaculação…

O Sêmen é uma mescla de esperma, secreções das vesículas seminares (veja a página de anatomia se lhe interessa) e fluídos da próstata. As secreções da próstata incluem a prostaglandina, um açúcar para manter estes pequenos amiguinhos em seu caminho até o óvulo, e água e minerais incluindo zinco e cálcio para manter suas caudas deslizando furiosamente ao nadar contra a corrente.

A princípio os componentes do sêmen não se formam bem misturados, e pode haver filamentos viscosos entre as emissões brancas da próstata; depois disso enquanto o sêmen se liquidifica e se torna muito mais uniforme na textura. (A propósito, se não o sabe, é um irritante muito forte para os olhes, e produz a sensação de queimação mais indescritível se chega envolta deles. Descobrimos este fato já bem conhecido porém nunca falado com adolescentes quando um de meus amigos estava na parte traseira de seu auto com sua noiva, enquanto ela o masturbava.

Tal era seu vigor juvenil que se disparou a si mesmo nos olhos então passou-se alguns minutos desesperantes enquanto ela lhe lavava o sêmen de seu rosto. Estou mais cauteloso ao dizer que todos pensamos que isto pudesse ser muito bom, quando ele contou depois. Não temos registro da reação dela. De todos os modos, não tente isto em casa para ver se é certo – realmente se arrependerá se o fizer!).

Existe uma grande variação no volume da ejaculação, e na idade em que os jovens em sua primeira ejaculação. O volume médio é a principio citado como de 2 a 5 ml, a última cifra é aproximadamente a quantidade de uma colherzinha de chá.

Tenho que acrescentar que muitos homens parecem produzir mais ou menos volume de líquido ao ter mais idade, embora isto possa ser porque a frequência de seus orgasmos diminuam-se, desde já, e o acumulam entre ejaculações menos frequentes. E muitos homens parecem preocupados ao ver que produzem muito pouco líquido, quando na realidade produzem a quantidade média. Como mencionei acima, se quer produzir mais, tudo o que tem que fazer é estender as fases prévias de excitação sexual por um período mais largo de tempo.

Sonhos úmidos

Quando estava escrevendo este artigo, recebi um e-mail de uma senhora jovem que parecia ansiosa porque seu marido igualmente jovem (20 anos) havia ejaculado na cama estando dormindo e tinha se negado a falar com ela sobre isto. Poderia eu, perguntou, explicar-me o que se passou? Ela se perguntava se isso significava que ele poderia estar sonhando com alguém diferente dela. Bem, como sabem, os sonhos úmidos ou poluição noturna são uma prerrogativa dos varões jovens, realmente, porém podem ocorrer a qualquer idade da vida de um homem.

Certamente as ereções que precedem aos sonhos úmidos são uma coisa normal nas vidas de todos os homens, ao menos que tenham uma disfunção erétil (impotência) baseada numa razão orgânica. A maioria das ereções durante o sonho ocorrem nas primeiras horas da manhã quando os níveis de testosterona em nosso sangue é o máximo: um modo tradicional de checar se estão ocorrendo é a prova da “estampa postal”, na qual um anel de selos se envolvem ao redor da base do pênis flácido a noite – se está partido pela manhã, o homem teve uma ereção e então não é fisicamente impotente.

Mas porque uma ereção noturna deve ser seguida de uma ejaculação? A razão mais óbvia é que um homem jovem tem um nível tão alto de excitação sexual que mesmo com a masturbação adolescente não pode manter seu impulso sexual. Outra razão pode ser que na realidade ainda não tenha aprendido a masturbar-se, e o corpo descarrega o excesso de fluído sexual quando está dormindo. Realmente eu não compartilho disto, porque se isso fosse certo, os sonhos úmidos ocorreriam em todas as idades quando os homens estivessem sexualmente inativos.

A verdade parece ser que está mais relacionado com os níveis de testosterona, que parecem estar em seu máximo em homens jovens, e declinam continuamente ao envelhecer o homem.

Seguindo a história, a mulher jovem acima provavelmente teria razão ao imaginar que seu marido haveria sonhado com alguém mais. As imagens mais peculiares pode chegar a mente em um sonho úmido, e inclusive podem induzir muita culpa. Sonhos sexuais com parentes nos cercando são pouco comuns: os filhos por exemplo, podem sonhar tendo sexo com seus pais, e podem sentir-se muito culpados por isto.

Mas tudo o que isto represente é a confissão entre o sexo e o amor em uma mente jovem, uma distinção que com otimismo ficará mais clara quando o jovem cresce e aprende os limites claros sobre o comportamento sexual dos adultos que podem estabelecer um bom exemplo. E muitos homens informam querer sexo com suas mães em alguma ocasião de suas vidas.. Outra vez, não se preocupe, senão aceite isto como uma parte do mistério do ser humano. Mas tampouco atue sobre isto! Um ponto que é importante ter em mente, penso, é que uma vida de fantasias é somente isto. Não tem que ser vivida, e pode ser mantida na intimidade.

Orgasmos e ejaculações múltiplas em homens… Chega outra vez?

Jogo de palavras, deve ser? Porém pode ocorrer realmente? Pode um homem ter orgasmos várias vezes no coito com ou sem ejaculação? Bem, o primeiro ponto a considerar é que um orgasmo não precisa ser acompanhado por uma ejaculação. Em alguns casos chamados ejaculação retrógrada, o sêmen passa para a bexiga em vez de sair pelo pênis. Isto não é perigoso, porém o homem que experimenta isto não sentirá toda a força de seu orgasmo como normalmente deveria.

Por tanto não há uma conexão entre a emissão de sêmen e o orgasmo masculino. Mas eu estou obrigado a dizer que é deter-se em detalhes – nesse caso, o homem ejacularia mas não o faz de maneira normal. Em que caso se supõe que o homem seja capaz de ter vários orgasmos sucessivamente? O que sobre o sexo tântrico, do que escutamos tanto hoje em dia, onde um homem possa prolongar seu prazer indefinidamente?

Bem, não há dúvidas de que os orgasmos múltiplos são possíveis na mulher. Sua fisiologia é diferente, e demora muito mais em perder sua excitação sexual. Ainda depois do orgasmo. Mantém um nível de excitação desde o qual é possível voltar aos picos de prazer sexual, várias vezes em rápida sucessão.

Porém nós homens sempre temos escutado que o assim chamado período refratário – o período depois da ejaculação no qual um homem é fisicamente incapaz de chegar a outra ereção, e então por consequência outro orgasmo – se faz mais e mais longos ao passar dos anos, e impede ao homem ser multiorgásmico em qualquer sentido significativo. Ainda quando adolescentes notam que simplesmente não tem o desejo de ter outro orgasmo depois que tenham chegado – ao menos, não por algum tempo.

O que é o sexo Tântrico?

Gostaria de saber! Estive buscando pela internet pistas para o mistério do que é descrito como sexo Tântrico, orgasmo masculino múltiplo, e assim sucessivamente, e notei que este é um caso de – lembra-se de Alice no País das Maravilhar? – Significa o que quero que signifique!

Parece haver algum consenso, sem dúvida, no fato de que os homens podem aprender a tentar aumentar ou prolongar o prazer desde a excitação sexual. Porém ali é onde termina o acordo, porque as “autoridades” que tem escrito sobre o tema não se colocam de acordo em se os orgasmos múltiplos incluem a ejaculação ou ainda a ereção. (Sim, surpreendente como pode parecer, encontrei um site web que promete o orgasmo ainda sem ter tiro ereção).

Para tanto: penso que o primeiro que quero discutir são as técnicas que detém a ejaculação no momento do orgasmo. Estas consistem em apertar os músculos em volta da próstata através de um ato de vontade, no qual detém-se a ejaculação. Isto pode permitir que ocorram as primeiras contrações do orgasmo, porém se detém a ejaculação.

Em alguns casos isto forçará o sêmen a ir para a bexiga – uma questão do momento no qual o homem aperta os músculos. Não há nada perigoso (penso) nisto, mas a ejaculação retrógrada – assim se conhece quando o sêmen viaja para a bexiga – não é algo que aumente o prazer. O prazer é provocado pela experiência das primeiras fazes do orgasmo repetidas várias vezes sucessivamente. Para mim, isto soa parecido com uma das técnicas usadas para retardar a ejaculação precoce: isto é, chegar ao limite do orgasmo repetidamente pela masturbação, então não chegando ao orgasmo.

Esta técnica pode permitir ao homem ficar no limite do orgasmo por bastante tempo antes de chagar finalmente, e se diz que produz orgasmos mais intensos… sem dúvida, tenho que dizer que tenho minhas dúvidas… principalmente porque muitos homens neste ponto perdem sua ereção e não podem retomá-la por um longo tempo. Se a essência de prolongar a excitação sexual do varão é mantê-lo estimulado, ou permitir ocorrer os orgasmos muito mais seguidamente de que é “normal” então isto parece derrubar todo o propósito. (Claro, não sou um expert!)

A seguinte técnica é manter a ereção mas não ejacular até que tenha se passado um tempo de excitação sexual maior que o tempo “normal” ou “médio”, de maneira que (presumivelmente o prazer das sensações durante o sexo seja prolongado, e com certeza muito importante para as mulheres, o coito pode continuar por um longo período de tempo, e ela pode chegar ao clímax durante o coito.

Não nego que isto seja possível, e que a habilidade de penetrar eternamente sem parar possa ser aprendida, mas comparativamente poucas mulheres informam ter orgasmo somente por coito, ao menos que façam amor numa posição onde o pênis do homem estimule a base do clitóris. Se isto é certo, então a questão de coito estendido poderia melhorar sensivelmente o prazer do homem prolongando o período de tempo, pelo qual seja estimulada – e colocando que é um dos esquisitos prazeres da vida ter o pênis dentro de uma vagina, posso ver que isto poderia ser magnífico (o descobrimento do ânus!).

Muitas das técnicas descritas nos sites web dedicados a este tema falam de aprender a relaxar os músculos do corpo ao ponto do orgasmo para retarda-lo, que é um interessante contraste das técnicas de apertar descritas acima. Parece intuitivamente óbvio que isto retardaria o orgasmo, posto que este depende da contração e tensão dos músculos de todo o corpo.

Depois estão as técnicas mais místicas, que põem ênfase no que eu poderia descrever como técnicas “psíquicas” de melhorar o fluxo de energia através do corpo. Crer ou não nos Chakras e meridianos de energia é quase irrelevante, porque um “não crente” poderia entender tal discurso como um modo complicado de descrever um processo de desenvolver uma sensibilidade maior no próprio corpo, as sutilezas da energia fluindo nele, e as correspondentes respostas no corpo de sua parceira.

Como ocorre, creio que a ideia de controlar o fluxo de energia dentro do corpo para melhorar o prazer sexual está na realidade baseado em um fenômeno real, mas deixo você decidir  se é simplesmente a estimulação das vias nervosas através de pontos sensíveis do corpo, ou o circulo de energia psíquica através dos Chakras.

Assim, se os homens podem ter o orgasmo de uma maneira similar as mulheres, cujo ciclo de excitação te permite orgasmos múltiplos regularmente, e a intervalos curtos, como o fazem? Bem, poderia supor que a maioria dos homens coincidiram primeiramente em que sacrificar toda a força do orgasmo para prolongar a ereção mais vale como derrota a questão do execício.

E, segundo, que se a descrição do ciclo sexual masculino é correta na suposição de um período “refratário” durante o qual o homem não pode ser estimulado até um orgasmo posterior, então o acobertamento ou eliminação deste período refratário deve ser um dos objetivos dos orgasmos múltiplos. E terceiro, que se toda a força de um orgasmo masculino depende da contração dos músculos al redor da próstata, anus e pênis (os músculos pubococígeos) – os músculos responsáveis  pela ejaculação – então a ejaculação deve ser parte do orgasmo múltiplo masculino? Correto? Bem… o homem tem somente uma determinada quantidade de fluído seminal – ele não pode seguir ejaculando para sempre.

Assim que então um homem possa ter orgasmos sem ejacular fluído, mas com os músculos responsáveis pela ejaculação comportando-se como se estivessem ejaculando? Confundido? Bem, eu também estou! Mas os fatos parecem cair em alguma parte da observação anterior – é a contração destes músculos que provem as maravilhosas sensações do orgasmo, e então, já seja que a ejaculação seja produzida ou expelida ou não, qualquer técnica que iniba, seja ela voluntária ou inconscientemente, suas contrações, diminuirá o prazer do homem.

Modos de chegar ao prazer mais elevado – com ou sem orgasmos múltiplos

Há muitas coisas que você pode fazer para melhorar o prazer ainda se não procura pelos orgasmos múltiplos.

1.- Tonifique seu músculo pubococígeo

Mais que nenhuma outra coisa, esta é a chave para orgasmos e ejaculação poderosos, prazerosos e contundentes. Os homens que sempre gotejam no momento do orgasmo se encontram numa situação que disparam o sêmen de uma maneira como nunca antes o tenham feito – e posso dar testemunho de minha experiência pessoal no quanto pode sentir realmente seu orgasmo.

Pode tonificar seu músculo imitando os exercícios de Kegel que se recomendam as mulheres com controle deficiente da bexiga (é de fato o mesmo músculo em homens e mulheres, e as mulheres que praticam o exercício também experimentam orgasmos mais poderosos.) Estes exercícios podem fazer-se em qualquer partem em qualquer momento, embora sejam mais prazerosos quando você tem uma ereção, porque incrementam o volume de sengue no pênis e a pressão nas áreas sensíveis da cabeça do pênis. Esta é uma grande técnica para melhorar a qualidade de seu orgasmo, e a recomendo.

2.- Comemore o sexo

Com o que quero significar que introduza um pequeno ritual na hora do sexo, faça amor com luses suaves, musica doce, velas, massagens, flores, perfume – este tipo de coisas. Concentre-se no que está fazendo – quer dizer, preste atenção ao sexo e dedique-lhe tempo, não a TV ou as distrações caseiras.

Comunique-se com sua parceira através da poesia, leituras ou versos, ou algo que tenha escrito especialmente para ela. Ou ele. Estas técnicas são sobre a alma humana, e qualquer que seja o genero que tenham realmente duas pessoas tendo sexo, ambos tem uma alma que está clamando por comunicação e contato com a alma de outro ser humano.

3.- Sincronize sua respiração com o outro amorosamente

A respiração sincronizada ajuda a estabelecer a conexão que mencionei acima. Funciona bem quando os dois estão juntos fisicamente, dando-se massagens e tocando-se.

Pode estabelecer grande intimidade deixando que seu alento tome o mesmo ritmo de sua parceira, e focando-se sobre seu corpo ao fazê-lo.

4.- Penetre-a e fique quieto

Uma técnica realmente Tântrica – muito espiritual quando se combina com a visualização da energia fluindo entre a parceira.

Porém uma palavra de advertência: Poderia aumentar qualquer sentimento negativo até que sua parceira se sinta mal, enjoada ou hostil.

5.- Estabeleça e mantenha o contato visual com sua parceira por longos períodos de tempo enquanto faz amor

Sem dúvida isto pode ser embaraçoso a princípio, realmente ajuda a estabelecer uma união entre os amantes.

Termine rapidamente!

O problema é – Não quer, quer? E você particularmente não quer acabar justo ao penetrá-la – ou, pior, antes de tê-la satisfeita. E usar dos preservativos não ajuda. Nem tampouco as matemáticas em sua cabeça, nem pensar sobre seu dia de trabalho.

A verdade é que os animais machos foram projetados para terminar rapidamente – é tudo sobre esta urgência biológica de unir-se tão rápido como seja possível para reduzir a vulnerabilidade das intenções hostis de outros machos até você (ou seu harém) – ou poder ter uma relação rápida, furtiva, no harém do macho antes que se de conta. Ao menos, assim é como foi uma vez, Hoje em dia tais urgências biológicas são dificilmente úteis em nossa cultura. Assim que é que pode-se fazer pela ejaculação precoce?

O método clássico é aprender a demorar mais tempo (bom, que surpresa!) E o modo de fazê-lo é praticar. Masturbe-se até a borda do orgasmo. Então deixe diminuir sua excitação. Prove masturbar-se por, digamos, quinze minutos então estenda gradualmente o período que pode controlar sua urgência de acabar, Isto lhe dará maior percepção das respostas de seu corpo, e dos sinais que envia justamente antes de acabar. O controle que aprende pode ser transferido ao coito.

Há outro método, que implica em apertar a cabeça do pênis logo antes da ejaculação, reduzindo assim a urgência de acabar, e as vezes reduzindo a ereção, porém permitindo-lhe recuperá-la e continuar desde onde estava.

Permanecer duro – com ou sem Viagra ?

Quero dizer algo sobre Viagra (também conhecida como sidenafil) porque é claramente uma medicina de alto potencial ao menos para alguns homens com dificuldades eréteis. A história do Viagra agora é provavelmente muito bem conhecida – foi desenhada como droga para o coração, mas as provas parecerão fazer mais pela vida sexual dos homens que pela sua circulação.

Quando os farmacêuticos viram isto, descobriram que Viagra tem um efeito especial sobre o pênis: sustenta a presença de óxido nítrico no pênis, que é importante porque essa substância é a que promove a dilatação ou relaxamento dos vasos sanguíneos no pênis, que permite ao sangue fluir dentro do pênis mais efetivamente. Isto significa que deve ocorrer uma ereção mais dura, mais firme e por mais tempo. A droga é claramente potente, penso, e tem efeitos sobre muitos outros sistemas do corpo além do pênis, porque a enzima que tem que inibir (para que o ministrado de óxido nítrico se mantenha) se encontra não somente no pênis.

Isto quer dizer que pode causar efeitos colaterais como dor de cabeça, rosto enrijecido e uma cor azulada na própria visão. Estes efeitos, que parecem alarmantes, não são um problema. Sem dúvida, o que um doutor na prática deveria fazer é acertar um balanço entre uma dose fisiológica efetiva que endureça o pênis, e uma que seja suficientemente baixa como para evitar que se produzam os desagradáveis efeitos colaterais.

Uma rotina típica para um doutor poderia ser prescrever uma dose baixa de experimento de 25 mg (a metade de um tablete de 50 mg.) A ideia é começar desde abaixo e ir aumentando. Se há alguma ansiedade sobre o provável êxito do coito, seria o melhor estabelecer uma dose adequada provando por meio da masturbação.

Devo mencionar que Viagra não é uma droga que aumenta a libido: necessita-se uma vontade sexual ou excitação prévia, ainda sem ter ereção, para que funcione. Este é o motivo de porque uma combinação de Viagra e terapia de testosterona tem encontrado acolhida entre alguns médicos que se especializaram na disfunção reprodutiva masculina.

Então, qual a solução para o Viagra?

Claramente, quem busca isso está buscando algum remédio para aumentar o desejo masculino, certo?

A solução ideal depende de cada um. Existem soluções naturais que se baseiam no consumo de suplementos alimentares todos os dias. Dessa forma, seu corpo estará mais preparado para obter desejo, hormônios e ereções mais prolongadas.

Sem dúvida, o melhor conselho que podemos dar nesse momento é buscar ajuda especializada, pois somente assim você saberá exatamente qual o problema e qual a solução ideal para ele. Pode ser que um remédio, como o Viagra ou qualquer outro nesse sentido, não resolva seus problemas e ainda apresente efeitos indesejados.

No mais, espero que tenham gostado de toda minha análise profissional sobre a sexualidade do homem e como tudo funciona. Obrigado pela oportunidade de escrever por aqui no Eat At Julias. Deixe seu comentário para que eu possa interagir e responder algumas dúvidas, se é que restaram.

Post convidado do amigo Renan Carvalho. Como entende do assunto e faz disso sua profissão, ele explicará para gente mais sobre a sexualidade masculina e como funciona tudo que a envolve. Espero que gostem, meninas!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.